Logo UniCEUB Centro Universitário de Brasília

Repositório Institucional

voltar ao site

Centro Universitário de Brasília - UniCEUB >
BIO - Ciências biológicas >
BIO - Monografias >
BIO - Graduação >

Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/123456789/2389

Título: AIDS: uma epidemia do mundo atual
Autor(es): Bizerril, Marcelo Ximenes
Albano, Luciana de Aguiar
Data do documento: 2000
Resumo: A sigla aids é originada do idioma inglês, e quer dizer síndrome da imunodeficiência adquirida. Foi reconhecida no início da década de 1980, nos Estados Unidos, quando adultos do sexo masculino apresentaram comprometimento do sistema imunológico. A aids é causada pelo vírus HIV, que destrói os linfócitos (células de defesa do organismo), permitindo o aparecimento de várias doenças oportunistas. As três formas de transmissão do vírus HIV são: sexual, sangüínea e perinatal (da mãe para o filho). A classificação da aids é baseada nos sinais e sintomas, e apresenta padrões diferentes para o adulto e a criança. Com a evolução da doença, há o surgimento de várias complicações, que vão desde manifestações cutâneas a manifestações neurológicas. Somente através da realização de testes é possível saber se uma pessoa tem o vírus HIV, pois muitos dos sintomas são comuns a outras doenças. O teste anti-HIV deve ser realizado quando a pessoa se expõe a algum fator de risco. Existem vários testes que detectam os anticorpos contra o vírus HIV, como por exemplo, o “Elisa” e o Western Blot, que são mais utilizados devido ao baixo custo; os testes de detecção viral, como o PCR (reação em cadeia de polimerase), têm custo elevado e são utilizados em situações específicas. Atualmente a aids não tem cura, mas os medicamentos anti-retrovirais prolongam a vida do portador do vírus HIV. Os medicamentos atuam em fases diferentes do ciclo viral, e a associação deles, conhecida como coquetel, é importante para que o vírus não crie resistência a esses medicamentos. Somente com acompanhamento médico é possível identificar o momento mais adequado para o início do tratamento. O número de casos de aids vem aumentando em todo o mundo, e a transmissão não está ligada a “grupos de risco” como se dizia antigamente, mas a comportamentos de risco. Qualquer pessoa pode se infectar com o vírus, desde que não adote práticas de prevenção.
URI: http://hdl.handle.net/123456789/2389
Aparece nas coleções:BIO - Graduação

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
9509104.pdf436.61 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir

Visualizar estatísticas

Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.