Logo UniCEUB Centro Universitário de Brasília

Repositório Institucional

voltar ao site

Centro Universitário de Brasília - UniCEUB >
DIR - Direito >
DIR - Monografias >
DIR - Graduação >

Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/235/5265

Título: O abandono afetivo sob a ótica do dever de cuidado
Autor(es): Lopes, Bárbara Barros de Sousa
Palavras-chave: Dever jurídico de cuidado
Responsabilidade civil
Abandono
Ausência paterno-filial
Compensação por danos morais
Data do documento: 28-Ago-2014
Resumo: A presente pesquisa tem como tema a inserção do “cuidado” como novo valor jurídico no ordenamento jurídico pátrio brasileiro. A partir desse enfoque, far-se- á no trabalho uma breve análise dos dispositivos normativos que dispõem acerca do dever de cuidado, do contexto familiar contemporâneo, bem como da intervenção estatal no âmbito das relações familiares. Além dos pontos ressaltados, pretende-se avaliar recentes decisões tomadas pelo Poder Judiciário, as quais passaram a reconhecer a efetividade normativa do cuidado como elemento legitimador da indenização pecuniária em virtude dos danos causados pelos pais em relação aos seus filhos ao abandoná-los. Insurge-se, neste contínuo caminhar, para expor o acréscimo do “cuidado” ao sistema jurídico dos Tribunais brasileiros. O estudo está centrado na análise do abandono afetivo sob a ótica do dever de cuidado, ao passo que o mencionado valor jurídico representa o foco central da pesquisa proposta. Nessa percepção, o aludido trabalho supera o debate sobre afeto em si para explorar o conteúdo valorativo do dever jurídico de “cuidar”. Busca-se, em síntese, o estudo quanto à concretização da importância da estrutura familiar no crescimento e desenvolvimento de crianças e adolescentes, bem como a viabilidade de responsabilização civil no âmbito das relações filiais. Como conclusão, será possível evidenciar a construção de novos paradigmas pela jurisprudência por se entender inequívoca a necessidade de introdução do dever de cuidado, a fim de se resguardar a proteção aos filhos menores, enxergados como partes vulneráveis nas relações paterno-filiais.
URI: http://hdl.handle.net/235/5265
Aparece nas coleções:DIR - Graduação

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
RA20902695.pdf432.78 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir

Visualizar estatísticas

Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.