Logo UniCEUB Centro Universitário de Brasília

Repositório Institucional

voltar ao site

Centro Universitário de Brasília - UniCEUB >
PSI - Psicologia >
PSI - Monografias >
PSI - Graduação >

Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/235/5494

Título: A depressão no enfoque da Gestalt-terapia
Autor(es): Tenório, Carlene M. D.
Soares, Marizeth Carvalho
Palavras-chave: Depressão
Neurose
Gestalt-terapia
Data do documento: Jul-2014
Resumo: A depressão, uma das principais formas de sofrimento psíquico na atualidade, é também uma das doenças que ocasionam maior comprometimento no sujeito, sendo considerada a primeira causa de incapacidade entre todos os problemas de saúde no século XXI. De acordo com os manuais diagnósticos, a depressão se classifica dentro dos transtornos afetivos, onde a perturbação fundamental é uma alteração do humor ou do afeto. O objetivo deste trabalho é compreender a depressão no enfoque da Gestalt-Terapia, considerada uma abordagem de base fenomenológico-existencial, a partir da discussão e compreensão de um caso clínico. Na perspectiva fenomenológico-existencial, a depressão é vista como um fenômeno complexo que deve ser apreendido, encarando o homem em sua totalidade, como um ser que está em processo contínuo de criação e recriação de si e do mundo, cujo sentido de ambos é constituído na relação entre eles. Na visão da Gestalt-Terapia, a depressão, como todo tipo de adoecimento psíquico, é o resultado de processos de autorregulação do self diante de circunstâncias que são vivenciadas como sendo, ao mesmo tempo, intoleráveis e inevitáveis. Nestas circunstâncias, o sujeito interrompe seu contato com o meio, introjetando mensagens tóxicas responsáveis pela instalação do conflito interno dominador-dominado. Desse modo, no entendimento dos teóricos dessa abordagem, a introjeção tóxica e o consequente conflito entre eu dominador e eu dominado estão na base de todas as neuroses, caracterizadas por um sentimento crônico de impotência e menos valia em relação aos outros, que estimula a utilização repetitiva de diversos mecanismos de defesa, ou de interrupção de contato, gerando um padrão rígido e obsoleto de funcionamento, que dificulta a recuperação do equilíbrio, o crescimento e a autorrealização do sujeito. O caso clínico de depressão estudado revelou que a depressão, em sua constituição sintomática e etiológica, corresponde à constituição da neurose, conforme é descrita pelos autores da Gestalt-Terapia citados neste trabalho.
URI: http://hdl.handle.net/235/5494
Aparece nas coleções:PSI - Graduação

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
20952618.pdf912.46 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir    Solictar uma cópia

Visualizar estatísticas

Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.