Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.uniceub.br/jspui/handle/prefix/12773
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorLeite, Marina Mendonça-
dc.date.accessioned2019-01-09T17:09:56Z-
dc.date.available2019-01-09T17:09:56Z-
dc.date.issued2018-12-
dc.identifier.citationLEITE, Marina Mendonça. Efeito da quantidade e dos tipos de relações treinadas sobre a dependência funcional. 2018. Monografia (Graduação) - Faculdade de Ciências da Educação e Saúde, Centro Universitário de Brasília, Brasília, 2018.pt_BR
dc.identifier.urihttps://repositorio.uniceub.br/jspui/handle/prefix/12773-
dc.description.abstractA presente pesquisa teve como objetivo investigar o efeito da quantidade de treinos e da quantidade de relações treinadas sobre os operantes verbais não treinados, e qual tipo de segunda relação treinada é mais efetiva, se quando o treino é feito com estímulos verbais escritos ou quando é feito com figuras. A pesquisa foi dividida em três fases experimentais e foi utilizado o delineamento de sujeito único. Os estímulos foram compostos por palavras escritas em alemão (A, A’ e A”), palavras escritas em italiano (B, B’ e B”), palavras escritas em português (C) e figuras (D). Na primeira fase, foram treinadas e testadas as relações AB e BA, respectivamente. Na segunda fase, foram treinadas e testadas as relações A’B’ e B’C, B’A’ e CB’, respectivamente. Na terceira fase, foram treinadas e testadas as relações A”B” e B”D, B”A” e DB”, respectivamente. Foi aplicado um Pós-teste, com as relações A’C, A”C, DA’ e DA”. Os dados foram analisados a partir da contabilização do número de blocos que cada participante necessitou em cada treino, das porcentagens de acerto obtidas nos treinos e nos testes, do padrão de erro e análise de bigramas no Pós-teste. Foi discutido que há indícios de que dois treinos e a segunda relação treinada com figuras têm mais efeito sobre o operante não treinado. Houve efeito da quantidade de relações sobre os operantes não treinados. Houve também dependência funcional na direção falante-ouvinte, mas não foi possível chegar a conclusões precisas sobre haver dependência ou independência funcional na direção ouvinte-falante.pt_BR
dc.description.provenanceSubmitted by Fernanda Weschenfelder (fernanda.weschenfelder@uniceub.br) on 2019-01-09T17:09:02Z No. of bitstreams: 1 21445819.pdf: 869401 bytes, checksum: bb227a418d31bde2df38300b7abc31ec (MD5)en
dc.description.provenanceApproved for entry into archive by Fernanda Weschenfelder (fernanda.weschenfelder@uniceub.br) on 2019-01-09T17:09:56Z (GMT) No. of bitstreams: 1 21445819.pdf: 869401 bytes, checksum: bb227a418d31bde2df38300b7abc31ec (MD5)en
dc.description.provenanceMade available in DSpace on 2019-01-09T17:09:56Z (GMT). No. of bitstreams: 1 21445819.pdf: 869401 bytes, checksum: bb227a418d31bde2df38300b7abc31ec (MD5) Previous issue date: 2018-12en
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.subjectRelação treinadapt_BR
dc.subjectAprendizagem de língua estrangeirapt_BR
dc.subjectIndependência funcionalpt_BR
dc.titleEfeito da quantidade e dos tipos de relações treinadas sobre a dependência funcionalpt_BR
dc.typeMonografiapt_BR
dc.date.criacao2018-12-
dc.identifier.orientadorMedeiros, Carlos Augusto dept_BR
Appears in Collections:PSI - Graduação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
21445819.pdf849,02 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.