Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.uniceub.br/jspui/handle/123456789/1243
metadata.dc.type: Monografia
Title: Programação educativa infantil: Uma possibilidade não explorada
Authors: Cruz, Daisy Sharon de Araújo
Abstract: O que se pretende abordar na pesquisa sobre a televisão educativa insere-se no propósito de proporcionar uma reflexão mais aprofundada sobre a influência da TV na educação. Os meios de comunicação, dentre eles a televisão, são hoje não apenas veículos, mas o local onde se discutem temas polêmicos que interessam à sociedade. Com isso, a temática televisão e escola tem mostrado ser uma preocupação prioritária de grande parte das pessoas que se interessam pela educação. Isso porque, atualmente, a realidade que nos cerca passou a ser conhecida e reconhecida a partir da mídia, principalmente a televisão. Logo após o surgimento da TV, a necessidade de se ter uma boa audiência a qualquer custo, sem existir uma preocupação com o que se é transmitido, passou a determinar a programação da televisão brasileira. Foram surgindo vários tipos de programas, mas poucos foram os que se preocuparam realmente com a educação das crianças do nosso país. As crianças costumam assistir a todos os programas que estão no ar, desde os chamados educativos até os que são produzidos para os adultos. Portanto, nossa reflexão tem que levar tal fato em consideração. Qual o papel que cabe, hoje, a televisão, diante dessa realidade? Desligar a TV e fechar os olhos para o que está acontecendo na cena do mundo real não seria a melhor solução. Sabemos que as crianças passam mais tempo em frente à TV do que em qualquer outra atividade, portanto, se é verdade que a televisão não objetiva ensinar, é também verdade que as crianças aprendem com ela. E com isso, constroem suas próprias expectativas sobre o que fazer e como fazer e, além disso, desenvolvem atitudes que muitas vezes reproduzem esteriótipos de comportamento. xi A violência, a grande quantidade de informações fragmentadas, as mulheres objetos que a televisão mostra e a transformação dos produtos culturais em mercadoria acabou substituindo um conjunto de conteúdos de programas que poderiam ser um estímulo para a imaginação, para a aprendizagem e para a vida. A televisão poderia representar uma chance para o crescimento social e pessoal para as crianças. Uma forma de tentar melhorar a televisão brasileira seria se os profissionais atuantes nessa área fizessem um estudo sobre quem realmente é a criança que vê a TV. É importante que a criança receba mais atenção por parte dos profissionais da mídia e, também, por parte do governo, que acaba não exigindo o efetivo cumprimento da legislação, a respeito do que se deve ou não passar na programação televisiva. Sabemos que a TV exerce grande influência sobre a sociedade e, portanto, deveriam existir muito mais programas destinados ao público infantil, levando em consideração que as crianças costumam imitar o que vêem. Porém, infelizmente, não é sempre que se vê um bom programa infantil na TV aberta. Existem algumas emissoras que ignoram o público infantil, e existem outras que transmitem programas que dizem ser infantis, mas na verdade exibem uma programação nada, ou quase nada educativa. Apesar de todas as questões levantadas sobre o tema, podemos chegar a imaginar que é um assunto que nunca acabará, porque sempre surgirão novas dúvidas e novos questionamentos. Portanto, cabe a nós continuarmos na tentativa de melhorar a programação infantil, por mais que seja difícil e haja obstáculos, buscando sempre coisas novas e, principalmente, a conscientização da sociedade. Assim, talvez possamos considerar a televisão um meio provedor de experiências que são necessárias para a aprendizagem da criança.
URI:  https://repositorio.uniceub.br/jspui/handle/123456789/1243
Issue Date: Jan-2006
Appears in Collections:JOR - Graduação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
20061749.pdf105.17 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.