Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.uniceub.br/jspui/handle/123456789/1319
metadata.dc.type: Monografia
Title: Max Nordau e a comunicação social
Authors: Castro, Dário de Paulo
Abstract: Há no organograma dos cursos de Comunicação Social e, em especial, de jornalismo, autores e obras que se destacam pela análise (conceitual, estrutural, histórica etc.) de ambos, profissão e profissionais da área. Eles são, pela pertinência ao tema, sumariamente indicados para leitura e utilizados pelo corpo docente nas aulas. Entre tantos podemos citar “Mudança estrutural na esfera pública” de Jürgen Habermas, no qual o autor discorre sobre o conceito por ele criado de “esfera pública” e ressalta as características de uma mídia moderna, atrelada e servente do capitalismo; “Por que estudar a mídia?” de Roger Silverstone, no qual é analisada a atual estrutura dos meios de comunicação em massa e traçadas perspectivas para a nova mídia (on-line) e “Teorias da comunicação” de Mauro Wolf, livro substancioso que elenca as teorias da comunicação surgidas ao longo dos tempos. A condição para que estes livros e autores acima estejam presentes no meio acadêmico são a adequação e relevância que possuem para os estudos referentes à comunicação social. Eles dividem com os livros técnicos e de estudos da linguagem esse espaço nobre e são citados e analisados em trabalhos ao longo do curso e, principalmente, nas monografias. Este trabalho intenta ser um convite ao filósofo Max Nordau (1849 – 1926) para o meio acadêmico das comunicações. Os textos do autor ficaram restritos a poucos dos leitores de obras da filosofia depois da grande repercussão até os anos 50. Neste período suas obras foram traduzidas do original em alemão para cerca de 20 línguas, inclusive o português, e pouco se sabe do autor no Brasil. As últimas publicações dos livros de Max Nordau em português datam de meados dos anos 60. Recentemente, durante a produção deste trabalho, foi lançado o livro “Nietzsche e sião”, de Jacob Golomb, que em um dos capítulos traz informações gerais e sucintas sobre Max Nordau. A primeira das três partes do capítulo “Diversas mentirinhas” do livro “As mentiras convencionais da nossa civilização” do filósofo é a base deste trabalho. Neste PDF created with pdfFactory trial version www.pdffactory.com 9 excerto o autor discorre sobre a imprensa e discute projeções para um funcionamento escorreito da mesma. O texto foi atualizado, analisado e correlacionado com o autor Jürgen Habermas e seu conceito de esfera pública para que se definisse um enfoque relacionado aos estudos da comunicação e assim atendesse às condições de adequação e relevância para a definitiva aproximação de Max Nordau ao meio acadêmico das comunicações. O filósofo foi escolhido não por acaso. Embora o conceito de obras filosófico mais difundido por alunos de comunicação é de que sejam textos confusos e complicados, os textos de Max Nordau apresentam característica diversa. Suas considerações trazem intentas de simplicidade e discutem o cerne das questões atualmente elencadas no meio acadêmico. Neste trabalho é feita, primeiramente, uma correlação de excertos do autor, alguns sobre determinado tema que, à primeira vista, parecem alheios às discussões da comunicação social, e as teorias da comunicação. Ao tentar essa aproximação do filósofo, ora se apresenta temas atuais da comunicação, ora se discorre sobre temas da filosofia correlatos. Pergunta-se, e tenta-se responder também, por que Max Nordau experimenta tal marginalidade e por que não foi definitivamente inserido no meio acadêmico da comunicação social.
URI:  https://repositorio.uniceub.br/jspui/handle/123456789/1319
Issue Date: Jan-2005
Appears in Collections:JOR - Graduação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
20133413.pdf317.92 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.