Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.uniceub.br/jspui/handle/123456789/2754
metadata.dc.type: Monografia
Title: O corpo e o psíquico: os fenômenos psicossomáticos sob a ótica da psicanálise
Authors: Amorim, Ellana Rodrigues de
Abstract: Partindo da idéia de que existe uma integração entre o psíquico e o somático, o objetivo deste estudo foi estudar as relações que o corpo e o psíquico possuem, especialmente no que se refere aos fenômenos psicossomáticos. Para compreender a psicossomática, escolheu-se percorrer os ensinamentos de Freud e Lacan, explicando desde como esse corpo se constitui, em consonância com o psiquismo, até como o corpo e o psíquico interagem ao ponto de surgir um fenômeno psicossomático. Observa-se que conceitos essenciais da psicanálise estão relacionados ao corpo, a pulsão tem como fonte o somático, a unificação do corpo e a constituição do eu se dá pelo narcisismo, o ego é corporal. Tais constatações demonstram que na psicanálise sempre se evidenciou a relação entre o psíquico e o somático. Um dos conceitos criado por Freud, mas pouco trabalhado pelo autor, incentivará vários autores a problematizarem o tema da psicossomática. Tal conceito é o de neurose atual, que já é diferenciado da histeria pelo sintoma não possuir uma função simbólica. A ausência da função simbólica faz alguns autores pensarem que há semelhanças entre a psicossomática e a psicose, porém logo observam que ambas são muito diferentes e uma das únicas semelhanças é o mecanismo da foraclusão, que, apesar de ser o mesmo mecanismo, funciona de forma diferente em cada uma. Na psicossomática existe apenas uma foraclusão parcial de um dos Nomes-do-Pai, sendo que a lesão orgânica apareceria como suplência para a ausência desse significante. Deste modo, a lesão de órgão está ligada ao Real, ao não simbólico, o que permite compreender que o gozo na psicossomática é o gozo ilimitado, aquele que não é intermediado pela função simbólica. Assim como o gozo ilimitado, pensa-se na presença da pulsão de morte nesse tipo de lesão, pois esta procura a descarga total de excitação, impelindo o sujeito a retornar a um estado inanimado. Compreende-se, finalmente, que a psicossomática não é uma estrutura psíquica, o que não a impede de possuir suas particularidades. Logo, ao mesmo tempo em que o sujeito possui sua estrutura psíquica, ele pode apresentar lesões psicossomáticas, dado que nesse tipo de lesão haveria uma foraclusão apenas parcial de um dos Nomes-do-Pai.
Keywords: Corpo
Foraclusão
Sinthoma
URI:  https://repositorio.uniceub.br/jspui/handle/123456789/2754
Issue Date: Jul-2010
Appears in Collections:PSI - Graduação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
20528427.pdf593,98 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.