Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.uniceub.br/jspui/handle/123456789/2811
metadata.dc.type: Monografia
Title: A natureza das relações co-dependentes sob o enfoque bio-psico-social
Authors: Faria, Luana Silveira
Abstract: O fenômeno da co-dependência, hoje em dia, faz referência à atitude obsessiva e compulsiva para o controle de outras pessoas e relações, fruto da própria insegurança. O transtorno ou a doença da outra pessoa pode ser crônico, mas levando associada a esperança de que pode ser curado. A seguinte monografia é iniciada tentando-se entender o termo co-dependência, porém ressalta-se que a definição dos termos co-dependência e co-dependente, ainda são vagas. Pode-se saber o que os termos significam, apesar de não terem sido claramente definidos. Após a elucidação do significado e do surgimento do termo, explica-se o desenvolvimento da co-dependência nos indivíduos, enfocando as teorias de diversos autores. Apesar de não haver características diagnósticas para o fenômeno da co-dependência, aponta-se as características mais comuns e evidentes na personalidade e no comportamento dos co-dependentes. Também salienta-se a importância do entendimento do Narcisismo, pois existe uma complementaridade entre a personalidade narcisista e a personalidade co-dependente. Para isso, relata-se o mito de Narciso e Eco, que mostra uma clara relação co-dependente entre seus sujeitos. Os relacionamentos codependentes são explicados fundamentando-se em sua etiologia e suas características. Os papéis assumidos pelos envolvidos na relação também são de extrema importância e servem de base para o entendimento da dinâmica da relação co-dependente. Além disso, ressalta-se o âmbito familiar, onde descreve-se a dinâmica de seus componentes como sendo co-geradora do fenômeno da co-dependência. Também é observado que a co-dependência está presente em inúmeras relações conjugais e como o sofrimento do co-dependente é projetado sobre o relacionamento. A co-dependência e a mulher é um assunto tratado a parte por ter um enfoque social tão em evidência, principalmente na atualidade. Do mesmo modo, a questão é destacada para se entender os papéis desempenhados pelas mulheres ao longo dos tempos e compará-los aos papéis assumidos pelas mesmas atualmente. Ainda explana-se sobre os relacionamentos codependentes entre profissionais da saúde e pacientes e sobre a importância do trabalho em equipe para evitar que a co-dependência consolide-se nessas relações. Nota-se, ainda, a influência da sociedade ocidental no desenvolvimento e, principalmente na manutenção da co-dependência e expõe-se o fato da sociedade ser co-geradora do fenômeno da adicção. Por fim, sugere-se a aceitação e o enfrentamento, a recuperação do passado, a alteração das mensagens autoderrotistas, as recaídas, o auto-cuidado e a participação em grupos de apoio como etapas da recuperação da co-dependência. Além de elucidar sobre a prática da psicoterapia interpessoal e explicar o uso e os benefícios da terapia familiar no tratamento da co-dependência.
URI:  https://repositorio.uniceub.br/jspui/handle/123456789/2811
Issue Date: Nov-2003
Appears in Collections:PSI - Graduação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
9813357.pdf350.41 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.