Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.uniceub.br/jspui/handle/123456789/3014
metadata.dc.type: Monografia
Title: O trauma psíquico no enfoque da neurociência e da Gestalt-terapia
Authors: Melo, Viviane Resende da Costa
Abstract: Esta monografia teve como objetivo compreender o trauma psíquico no enfoque da neurociência e da Gestalt Terapia. No enfoque da neurociência, o trauma psíquico é definido como uma experiência interpretada pelo organismo como ameaçadora à sobrevivência do indivíduo, desencadeando a atuação do sistema límbico e de outras áreas do sistema nervoso no condicionamento do organismo para a resposta de luta ou fuga. E também, inclui como essencial, o entendimento da terceira resposta de defesa, a qual se refere ao congelamento (imobilidade do organismo) associada à dissociação decorrente, a qual consiste na cisão entre o conteúdo do fato traumático e a emocionalidade deste e que, juntamente, ocorre a amnésia de partes ou da totalidade do conteúdo da experiência traumática. A realidade orgânica singular estabelecida durante e após a experiência traumática, devido, principalmente, à resposta de congelamento, responsável pelo aprisionamento da memória da vivência traumática, pode desencadear diversas conseqüências no funcionamento neurofisiológico como a dissociação, a memória traumática não-processada completamente e o kindling, ocasionando o surgimento de doenças físicas crônicas, transtorno de estresse pós-traumático agudo e crônico e distúrbios de personalidade. Como forma de tratamento do trauma psíquico proposta pela neurociência, foram abordadas neste trabalho diversas técnicas terapêuticas baseadas na acupuntura (Roger Callahan e Tapas Fleming) e na sensopercepção (Levine), que consistem em uma nova maneira de facilitar o processo recuperação de pessoas que sofreram uma experiência traumática. No enfoque da Gestalt Terapia, o trauma psíquico é compreendido com sendo o resultado da vivência de uma experiência intolerável e inevitável, que foi internalizada passivamente, se tornando um microcampo introjetado que deve ser reprimido pelo Self e funções ego do Self no sentido de impedir que este seja revivido no presente. Esta repressão vista pela Gestalt Terapia como uma interrupção de contato com os conteúdos existentes no mundo interno, torna-se necessária devido ao fracasso da função ego em evitar ou transformar a experiência intolerável, que uma vez introjetada, desencadeia outros bloqueios de contato consigo e com o meio, gerando as neuroses ou distúrbios de personalidade. A visão da Gestalt Terapia proporciona uma compreensão ampliada a respeito das relações do indivíduo com o outro e com o si mesmo, quando este, ao introjetar experiências tóxicas impostas pelo meio, desenvolve padrões rígidos e repetitivos de comportamentos, caracterizados por mecanismos de bloqueio do contato cristalizados, como forma de manter seu equilíbrio no campo organismo-meio próprio do funcionamento neurótico. Nesta perspectiva, o tratamento busca fazer com que a pessoa traumatizada se fortaleça e comece a contactar o introjeto tóxico, para poder assimilá-lo e integrá-lo ao Self, ou seja, promovendo o resgate de sua capacidade de utilizar suas resistências orais, que são habilidades para morder, mastigar e assimilar as experiências intoleráveis ou o alimento mental intragável. Como conclusão, percebe-se que os conhecimentos provenientes dos dois enfoques são complementares, proporcionando o aprofundamento da compreensão do trauma psíquico, como também contribuindo para uma maior eficácia do tratamento.
Keywords: Neurociência
Gestalt-terapia e trauma psíquico
URI:  https://repositorio.uniceub.br/jspui/handle/123456789/3014
Issue Date: Nov-2007
Appears in Collections:PSI - Graduação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
20310683.pdf246.2 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.