Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.uniceub.br/jspui/handle/235/10976
metadata.dc.type: Relatório de Pesquisa
Title: Avaliação citogenética de pacientes portadores de Leucemia Mielóide Crônica (LMC) em uso de GLIVEC (STI571, CGP57148B)
Authors: Matos, Priscilla Lamar
Abstract: A Leucemia Mielóide Crônica(LMC) é um câncer do tecido hematopoiético, no qual células imaturas permanecem com capacidade de diferenciação. A translocação cromossômica característica da LMC, cromossomo Filadélfia(Ph), está presente em 95% dos indivíduos portadores. Essa mutação produz uma proteína quimérica, a p210. A atividade dessa proteína está relacionada a uma hipercelularidade na medula óssea. Os tratamento comumente empregados na LMC baseiam-se na administração de quimioterápicos leucorredutores, com resposta citogenética modesta. A drogaSTI571 – Glivec, atua como inibidor clonal com resposta citogenética completa, negativando o cromossomo Ph. Apesar dos resultados positivos frente ao STI571, constatou-se uma evolução para resistência a essa medicação em alguns pacientes. O mecanismo mais comum do desenvolvimento de resistência ao Glivec é a reativação da proteína tirosina cinase, independente da presença do glivec, por amplificação gênica ou por mutação pontual. Após diagnóstico clínico e laboratorial, foram selecionados 48 pacientes portadors de LMC, os quais apresentavam o cromossomos Ph em células da medula óssea. Todos pacientes selecionados estavam em uso do Glivec. Os pacientes foram submetidos à avaliação citogenética, através da colheita de 10 ml de aspirado medular, mediante punção do osso esterno ou crista alíaca posterior. A técnica de cultura temporária de células da medula óssea foi realizada conforme a técnica modificada de MOOHEAD et al., (1960). A técnica de cultura temporária de diferentes; uma direta e, uma de 24 horas. A idade dos pacientes quando diagnosticados concentrou-se na faixa etária entre as décadas de quarenta e cinquenta anos de vida. A distribuição em relação ao sexo não apresentou diferença significativa. A contagem total de leucócitos no sangue periférico apresentou índices bem distintos quando comparados os pacientes antes e após o tratamento com Glivec, como também ocorreu com a contagem de plaquetas. O presente estudoconstatou a eficácia da medicação através de análise citogenéticas realizadas pós-tratamento. A partir de seis meses de uso, 90% dos pacientes responderam a esse tratamento. Resposta maior foi verificada em 63,4%desses pacientes. A realização da análise citogenética após 28 meses de tratamento demonstra que 62,5% dos pacientes mantiveram resposta citogenética maior. Apesar dos resultados positivos frente ao STI571, constatou-se uma evolução para resistência a essa medicação em alguns pacientes. Outras drogas estão sendo testadas para serem utilizadas por aqueles pacientes que desenvolvem resistência ao Glivec. É o caso do Tasigna (nilotinib), uma nova droga que em cinco meses de uso demonstrou uma resposta hematológica completa em 92% dos pacientes com LMC na fase crônica.
Keywords: Leucemia mieloide crônica
Cromossomo philadelphia
Glivec
Citation: MATOS, Priscilla Lamar. Avaliação citogenética de pacientes portadores de Leucemia Mielóide Crônica (LCM) em uso de GLIVEC (STI571, CGP57148B). 2006. 54 f. Relatório (Graduação) Programa de Iniciação Científica, Faculdade de ciência da saúde, Centro Universitário de Brasília, Brasília 2006.
URI: https://repositorio.uniceub.br/jspui/handle/235/10976
Issue Date: 2006
Appears in Collections:PIC - Relatórios

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
20126660.pdf1,51 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.