Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.uniceub.br/jspui/handle/235/9751
metadata.dc.type: TCC
Title: A estratégia de promoção da democracia nas relações internacionais: o confronto entre Estados Unidos e Cuba
Authors: Coutinho, Tatiana de Paula
Abstract: O objetivo deste trabalho consiste em analisar até que ponto a promoção da democracia serve de fato para diminuir tensões no cenário internacional e questionar se uma estratégia mais tolerante em relação a sistemas políticos distintos não seria mais eficaz para o bom relacionamento entre as nações e para a segurança internacional, como será visto no terceiro capítulo. O trabalho utiliza o caso da confrontação entre Estados Unidos e Cuba como um exemplo para dar sustento à argumentação. No primeiro capítulo é visto que a promoção da democracia tem sido um dos principais pilares da política externa dos Estados Unidos desde o fim da Segunda Guerra Mundial. O fim da Guerra Fria e o desmoronamento da União Soviética foram vistos pelos Estados Unidos como uma vitória dos princípios liberais sobre os comunistas, fortalecendo a idéia de uma missão perante a humanidade de levar a paz e a liberdade, por meio da implantação da democracia liberal, aos povos submetidos há anos a ditaduras que não respeitam as liberdades fundamentais dos indivíduos. No segundo capítulo, é visto como o regime socialista instaurado pela Revolução Cubana de 1959 representou uma ruptura com os princípios liberais, entre eles a democracia liberal. Cuba, devido a uma longa história marcada por violência, repressão e ditaduras, ansiava por uma ordem econômica, social e política que trouxesse melhores condições de vida para a população, com maior segurança e distribuição de renda. Hostis à Revolução desde o início, principalmente por conta de interesses econômicos contrariados pelas desapropriações promovidas pelo governo revolucionário cubano, os Estados Unidos não tiveram dúvidas em dificultar ao máximo o desenvolvimento de um sistema socialista em Cuba. Cortaram relações diplomáticas e impuseram um embargo econômico que dura até hoje. A principal alegação dos norte-americanos para justificar essas sanções é a falta de democracia em Cuba, cuja instauração nos moldes liberais é colocada como condição prévia para a normalização das relações entre os dois países. No entanto, a Revolução Cubana, apesar das sanções impostas, resiste há mais de 50 anos e nunca surgiu entre os norte-americanos a idéia de mudar de estratégia em relação à ilha, os poucos que tentaram logo foram superados pela ala mais conservadora do governo dos Estados Unidos.
Keywords: Democracia
Estados Unidos
Cuba
Socialismo
Sistema político
Democracy
United States
Cuba
Socialism
Political system
Citation: COUTINHO, Tatiana de Paula. A estratégia de promoção da democracia nas relações internacionais: o confronto entre Estados Unidos e Cuba. 2011. 70 f. Monografia (Graduação) - Faculdade de Ciências Jurídicas e Sociais, Centro Universitário de Brasília, Brasília, 2011.
URI: https://repositorio.uniceub.br/jspui/handle/235/9751
Issue Date: 2011
Appears in Collections:REL - Graduação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
20704660.pdf679.57 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.