Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.uniceub.br/jspui/handle/123456789/2640
metadata.dc.type: Monografia
Title: Corpo e subjetividade na pós-modernidade
Authors: Bezerra, Lucas Frederico da Silva Freire
Abstract: O objetivo deste trabalho consiste em analisar as formas pelas quais o sujeito tem agregado sentido às suas experiências com o corpo, em uma relação que permeia a saúde e o sofrimento psíquico, na atual conjuntura pós-moderna. Nessa conjuntura, observa-se uma mudança no que concerne à dimensão simbólica dos objetos, agora mais estéticos e descartáveis. Essa mudança faz com que a existência humana seja marcada pelo desapego a objetos, lugares, valores, pessoas e ao próprio corpo, agora passível de modelação. O consumo estético, dessa forma, tem-se sido suporte de um sujeito fragmentado, com dificuldade de localização espaço-temporal, que tem seu corpo como artífice para existir em uma sociedade marcada pela imagem e pelo espetáculo da performance. Fazer de sua aparência a mais saudável possível torna-se, dentro dos parâmetros contemporâneos, a marca do sucesso da pessoa, pois foi capaz de controlar seu corpo, sua carnalidade, assim como distingue como superior aquele que conseguiu essa marca. Contudo, estas experiências tornam o sujeito superficial, ainda ávido pela valorização de outros aspectos subjetivos. Diante dessa situação, surge grande parte dos sofrimentos psíquicos contemporâneos, em que a necessidade de preencher o vazio de se viver sob este estilo de vida encontra poucos recursos subjetivos para tal fim. O sujeito pós-moderno encontra-se tão imerso dentro do enigma competitivo da imagem, na medida em que tem sua subjetividade formada dentro destes ites de viver, que se torna cego dentro da realidade do aparente, da imagem. O imperativo da cultura do corpo associa-se ao imperativo da sensação, de forma a tornar a sensibilidade contemporânea comprimida dentro dos limites corporais da imagem. Assim, a visão dos sujeitos fica comprometida, dificultando-lhes enxergar seu real sofrimento. O grande mal-estar contemporâneo, portanto, está na incapacidade de o sujeito associar o sofrimento a uma demanda própria, o que os leva à solidão de viver em sociedade, inabilitado para vincular-se intima e seguramente com o outro. No entanto, existem modos de vida, dentro do selvagem mundo da imagem, capazes de promover a saúde psíquica e configurar formas subjetivas menos atravessadas pela lógica do consumo estético. Assim, os sujeitos conseguem, com mais segurança, expor suas carências, sem a necessidade de mostrar apenas a aparência, proporcionando uma percepção diferente de si e do mundo.
Keywords: Pós-modernidade
Corpo
Subjetividade
Citation: BEZERRA, Lucas Frederico da Silva Freire. Corpo e subjetividade na pós-modernidade. 2008. 52 f. Monografia (Graduação em Psicologia) – Faculdade de Ciências da Educação e Saúde, Centro Universitário de Brasília, Brasília, 2008.
URI:  https://repositorio.uniceub.br/jspui/handle/123456789/2640
Issue Date: Dec-2008
Appears in Collections:PSI - Graduação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
20403865.pdf234,83 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.