Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.uniceub.br/jspui/handle/123456789/2642
metadata.dc.type: Monografia
Title: A família e o sujeito: um processo de construção e influências mútuas
Authors: Beling, Cristiane Alves
Abstract: O presente trabalho tem como objetivo compreender a importância e influência da família na construção do sujeito, e deste na família, demonstrando que ambos compõem-se mutuamente. Dada a complexidade do tema, procurou-se inicialmente apresentar as diversas mudanças pelas quais a família tem passado em decorrência das contínuas transformações sociais, afetando, conseqüentemente, a formação de seus componentes, uma vez que as subjetividades sociais interferem e influenciam nas subjetividades individuais destes. Observou-se que, ainda que tais transformações venham refletindo nas atuais configurações familiares, permitindo que estas se estruturem sob uma múltipla variedade de arranjos, tal fato não é determinante na formação do sujeito, pois o importante é a qualidade das relações, o vínculo, a comunicação e a possibilidade de expressão dos afetos, no interior da família. Além disso, levantou-se a idéia de que o sujeito possui participação ativa em seu processo, sendo construído pelo meio, especialmente por sua família, mas também o construindo e construindo a si mesmo através de sua singularidade. Em seguida, discutiu-se o processo comunicativo, visto que este representa um dos principais fatores para a construção da subjetividade, e considerando-se que a família, principal contexto de desenvolvimento humano e grupo social primário dos sujeitos nela inseridos, constitui-se como um ambiente propício a tais interações e trocas sociais. Enfatizou-se a comunicação dialógica, demonstrando-se que o sujeito constrói seu conhecimento, sua realidade e sua própria identidade ou self no contexto relacional, a partir das narrativas que constrói nos espaços intersubjetivos do diálogo, as quais são constantemente co-criadas e reconstruídas. Neste sentido, percebeu-se que, do mesmo modo que a família, o sujeito também se encontra em permanente transformação, sendo que estas igualmente afetam e influenciam o contexto pelo qual ele próprio é afetado, pois a subjetividade apresenta um caráter circular e recursivo, de maneira que as subjetividades individuais também interferem e influenciam nas subjetividades sociais. Por fim, a comunicação foi levada a termos mais amplos, englobando-se o processo comunicativo entre as gerações familiares, e não apenas intra-familiar, por meio do fenômeno transgeracional. Observou-se que, apesar da forte presença que este mantém na vida dos integrantes familiares e na definição de seus papeis, os sentidos estão contínua e incessantemente sendo co-criados e as narrativas sendo re-interpretadas, de modo que sempre há espaço para escolhas e liberdade para a reapropriação e reconstrução da história de vida de cada um e da família, pois os sujeitos são ativos em seus processos. Dessa forma, concluiu-se que, ainda que família e sujeito não sejam plenamente responsáveis pela construção e formação recíprocas, ambos são extremamente importantes e indispensáveis em suas constituições mútuas.
Keywords: Subjetividade
Comunicação
Transgeracionalidade
URI:  https://repositorio.uniceub.br/jspui/handle/123456789/2642
Issue Date: Dec-2008
Appears in Collections:PSI - Graduação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
20409743.pdf274,48 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.