Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.uniceub.br/jspui/handle/235/7162
metadata.dc.type: Monografia
Title: Perfil bioquímico de mulheres com reganho de peso no pós-operatório tardio de cirurgia bariátrica
Authors: Coelho, Giovana de Aguiar
Abstract: A obesidade é uma doença crônica caracterizada pelo acúmulo excessivo de gordura corporal. Em casos de obesidade mórbida, quando o IMC supera 40 kg/m2, o tratamento clínico isolado não se mostra eficiente para que se alcance bons resultados. Nesses casos, a terapêutica passou a ser direcionada também à cirurgia bariátrica, a qual tem sido considerada o tratamento mais efetivo. No entanto a cirurgia apresenta limitações como a ocorrência de reganho de peso. O presente estudo buscou avaliar o perfil bioquímico de mulheres com reganho de peso após 24 meses de GRYR. Trata-se de um estudo transversal do tipo descritivo, no qual foram selecionadas 32 pacientes do sexo feminino submetidas à GRYR há pelo menos 24 meses, que apresentaram reganho de peso de no mínimo 5% do menor peso alcançado após a GRYR. As pacientes foram convidadas a participar da pesquisa, e foi agendada uma entrevista para aplicação de questionário sociodemográfico, além de marcação dos exames de sangue. Foram dosados parâmetros de perfil glicêmico e lipídico, adiponectina, interleucina-6 e colecistoquinina. Foi observado que aproximadamente 18% das participantes possuíam escolaridade do nível fundamental ou inferior e 34% tinham renda de até 3 salários mínimos. As participantes tinham mais de 6 anos de cirurgia e média de 16% de reganho em relação ao menor peso alcançado após a cirurgia. A média de valores dos dados bioquímicos estava dentro da faixa de normalidade em relação ao padrão de referência para as pacientes estudadas. O grupo com maior reganho de peso (> 15%) apresentou maiores concentrações de insulina e interleucina-6 e menores níveis de adiponectina. Os níveis séricos de insulina foram significativamente associados a magnitude do reganho de peso e o colesterol total mostrou-se associado a interleucina-6. Isso sugere um possível quadro de resistência à insulina e consequente risco cardiovascular em longo prazo. A cirurgia bariátrica, em especial, a GRYR, promove adequada perda de peso e resolução de comorbidades, na maioria dos casos, em até 24 meses de pós-operatório. No entanto é necessário monitorar esses pacientes em longo prazo para evitar um reganho de peso significativo com piora metabólica.
Keywords: Cirurgia bariátrica
Obesidade
Risco cardiovascular
Síndrome metabólica
URI:  https://repositorio.uniceub.br/jspui/handle/235/7162
Issue Date: 2015
Appears in Collections:NUT - Graduação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
21239516.pdf559,91 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.